Músicas dos Anos 60: O Sucesso que Balançou o Mundo

2
198

As músicas dos anos 60 marcaram revoluções severas no estilo de vida e no pensamento social. Para melhor entender o panorama da década de 60, é bacana passar por uma contextualização histórica.

História das Músicas Anos 60

Nos anos 50, a maior marca do mundo era um pensamento rígido e moralista, apoiado pelo American Dream. Surge um novo espírito de idealismo político que se desdobra no comportamento e em termos artísticos.

Não existia MTV, tampouco videoclipe ou internet, tudo que você conhece hoje como cultura POP e musical nos anos 60 era puramente embrionária.

A década de 60 é dividida em duas, a primeira metade tinha um quê de inocência e lirismo nas manifestações socioculturais. A segunda metade já definiria melhor as futuras revoluções que estariam por vir.

O Surgimento dos Beatles

Se existe um evento cultural que serve como divisor de águas entre a visão de mundo da segunda metade do século 20, este é o surgimento dos Beatles e daquilo que ficou conhecido como Beatlemania. Praticamente todas as músicas anos 60 e de outras épocas, foram influenciadas por eles.

Antes dos The Beatles, nenhum outro músico ou conjunto havia passado os oceanos e se popularizado no mundo todo. Os Beatles foram líderes daquilo que se chama ‘Invasão Britânica’.

Depois de ídolos como Chuck Berry e Elvis Presley, muitos garotos foram inspirados a formar bandas de rock and roll orientadas por artistas norte-americanos. Infelizmente, poucos tinham realmente chance de fazer sucesso no mundo todo. Nessa época, as bandas eram restritas às suas cidades de origem ou no máximo, seu país.

‘I Want To Hold Your Hand’, uma das primeiras baladas dos Beatles, tornou-se um single promovido pela Capitol Records. Em uma campanha de marketing agressiva, os Beatles explodiram nos Estados Unidos e desde então abriram portas para outras bandas, como Rolling Stones, The Who, The Animals, The Kinks, The Dave Clark Five, Gerry & The Pacemakers e muitas outras.

Músicas Internacionais e Rock Anos 60

Beatles

beatles

Os Beatles tinham uma estética profundamente jovem, e passavam isso em suas músicas dos anos 60.

Fimdotexto

Apesar de começarem dialogando com uma estética conservadora em termos de imagem e sonoridade, ao final de sua carreira, as ideias da banda eram altamente subversivas para a audiência mais nova.

Eles pregavam paz mundial, sem nunca terem remetido à guerra no Vietnam. Foram parte importante da cultura das drogas, mas nunca fizeram uma alusão agressiva a qualquer substância química.

O público abraçou mundialmente as causas da Invasão Britânica, que chegava pregando paz e liberdade em alto e bom som.

O projeto mais ambicioso da banda foi o ‘White Album’, lançado em formato duplo em 1968. Ele possuía várias faixas psicodélicas e de cunho político-social, como ‘Revolution’ e ‘Piggies’.

Os garotos britânicos tinham um inegável talento e um respeito às liberdades individuais, o que os levou a ser uma das bandas mais queridas e influentes da história da música.

Em 1966, os Beatles anunciam que não iriam mais se apresentar ao vivo, devido tanto a histeria de seus fãs, quanto pela dificuldade em executar com fidelidade de estúdio as músicas dos discos, que gozavam de alta tecnologia estéreo.

No final da década de 60, os Beatles executam sua última performance ao vivo. Em cima do telhado da Apple Records, eles foram interrompidos pela polícia, a apresentação ficou na história.

Para ouvir músicas dos Beatles no Spotify, clique aqui.

Bob Dylan

bobBob Dylan é um dos maiores ícones da contracultura – nome dado ao movimento iniciado na década de 60 para aqueles que se rebelavam contra o sistema.

A crítica especializada considera-o genial. Uma de suas músicas dos anos 60, ‘Like A Rolling Stone’, inclusive, é considerada o maior acontecimento da cultura popular dos últimos cinquenta anos. A letra trata de uma madame que se tornou mendiga, portanto, invisível aos olhos da sociedade, uma clara crítica à cultura do American Dream.

Bob Dylan tem um imenso legado musical e influenciou diversos artistas como Jimi Hendrix, Frank Zappa, Caetano Veloso e até Village People.

Dylan dava voz a uma espécie de cinismo jovem e era um mestre em suas composições e poesias. Ele foi uma forte influência na escrita de Lennon, que se encheu de brios: “Se Dylan pode, eu também posso.”

Bob Dylan foi quem primeiro apresentou um baseado aos Fab Four.

Para ouvir músicas do Bob Dylan no Spotify, clique aqui.

Rolling Stones

stones

Se não fosse os Rolling Stones, é provável que as bandas, as músicas e o rock anos 60 não fossem como são hoje em dia.

Endiabrados, subversivos e libidinosos, os Stones eram claramente a antítese dos Beatles. Eles também são a melhor definição para o famoso tema ‘sexo, drogas e Rock’n’Roll’.

Como parte da Invasão Britânica, eles emplacaram hits após hits, venderam milhões de discos e fizeram shows históricos, além de ter recordes financeiros em várias de suas turnês mundiais.

Mick Jagger é, até hoje, uma das figuras mais icônicas da cultura POP.

Por sorte ou azar, no final da década de 60, Brian Jones, ex-integrante dos Stones, foi encontrado morto na piscina de sua casa. A imagem da banda ficou ainda mais emblemática, em termos de tragédia e subversão.

Para ouvir músicas dos Rolling Stones no Spotify, clique aqui.

The Doors

doors

Embora as rádios não vissem com bons olhos a sonoridade e o tom maníaco-depressivo do The Doors, era inevitável que a banda fosse considerada um dos maiores ícones da história do rock.

O período da curta existência do The Doors (que durou de 1965 até 1972 por conta da morte do vocalista Jim Morrison) foi uma época onde a música não era feita por celebridades, muito pelo contrário, os jovens muitas vezes viam em seus ídolos líderes políticos.

Um dos principais motivos para o sucesso do quarteto psicodélico é o período de opressão da década de 60 e o forte sentimento de melancolia e tristeza causado pela guerra do Vietnã.

Além disso, é preciso dizer que Jim Morrison era um showman dramático e teatral, que despertava arrepios através de vocais sombrios, enquanto Robby Kriegger regava o som da banda com guitarras flamencas e ragas indianas, Ray Manzaret adicionava teclados de jazz e blues e John Densmore punha baterias de ritmos xamânicos.

Morrison chegou a ser preso em uma apresentação após mostrar seu pênis ao público.

Para ouvir músicas do The Doors no Spotify, clique aqui.

Leia também: Tudo Sobre Música nacional e Internacional

Os anos 60 no Brasil

Jovem Guarda

jovem-guardaNa metade da década de 60, a TV Record cria o programa ‘Jovem Guarda’. Roberto Carlos era o apresentador – ele se tornaria o maior ícone representativo tanto do programa, quanto do estilo musical orientado pelo Rock’n’Roll mais básico do início da carreira dos Beatles.

A ‘Jovem Guarda’ se tornou o primeiro movimento musical brasileiro de rock, com destaque para vários artistas, como Ronnie Von, Eduardo Araújo e Sylvinha Araújo, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani, Martinha, Vanusa, Leno e Lílian, Evinha (Trio Esperança), Deny e Dino, Paulo Sérgio, Sérgio Reis, Sérgio Murilo, Antônio Marcos, Kátia Cilene, Waldirene, Arthurzinho, Ed Wilson e George Freedman.

Grupos como Golden Boys, Renato e Seus Blue Caps, Lafayette e seu Conjunto, Os Incríveis, Os Vips e The Fevers também fizeram muito sucesso.

O programa versava sobre moda e música, possuindo como tema constante a modaroupa dos anos 60, com comportamento descontraído e alegre, a fim de catalisar uma audiência jovem. Roupas da moda da época eram saias rodadas para

A crítica especializada na época considerava o movimento com ressalvas, visto que o Brasil era assolado pela Ditadura Militar e a música pouco falava sobre política. Na verdade, os temas mais comuns eram dança e amores adolescentes.

Como Surgiu a Marca Jovem Guarda

A marca “Jovem Guarda” foi criada por uma agência publicidade, do famoso Carlito Maia. Tratava-se de batizar o programa musical que a TV Record ia lançar.

Os publicitários tomaram emprestada a marca da “Jovem Guarda Vermelha” de Mao Zedong. Que ironia: uma “jovem guarda” despolitizada, alienada, romanticóide e ordeira.

Dizem que Roberto Carlos fumava maconha no cachimbo, mas, publicamente, ele declarava que drogas (e “subversão”?) eram “barra suja, bicho”.

A Jovem Guarda também foi conhecida como a geração iê-iê-iê. Esse termo surgiu da expressão ‘yeah, yeah, yeah’ muito presente em músicas dos Beatles, como ‘She Loves You’.

Nessa época, a televisão, junto ao rádio, era o principal meio de comunicação do mundo.

Para ouvir músicas da Jovem Guarda no Spotify, clique aqui.

Músicas brasileiras dos anos 60

Roberto Carlos

roberto-carlos-anos-60-pessoal-117

Até hoje, Roberto Carlos é um dos mais celebrados cantores e compositores brasileiros.

Suas vendagens são estimadas em 120 milhões de cópias, tendo lançado discos em diversos idiomas.

Nos anos 60, ele dava cara a uma persona rebelde, mas dentro dos conformes, um James Dean de família, ou melhor, o Elvis Presley Brasileiro, como era chamado por Carlos Imperial.

Pela TV Tupi, apresentou um programa, mas obteve maior êxito com o ‘Jovem Guarda’ da TV Record, onde ele apresentava junto à Wanderléa e Erasmo Carlos.

Durante o programa, Roberto emplacou inúmeros hits, ‘Eu Sou Terrível’, ‘Namoradinha de um amigo meu’ e ‘Negro Gato’.

A partir dos anos 70, ele passa a se afastar da Jovem Guarda e investe em um estilo romântico de músicas dos anos 70 que até hoje permanece como sua característica principal.

Para ouvir músicas do Roberto Carlos no Spotify, clique aqui.

Erasmo Carlos

Ao lado de Roberto Carlos e Wanderléa, apresentou o programa ‘Jovem Guarda’.

Influenciado fortemente por cultura hollywoodiana e Elvis Presley, ele usava roupas que imitavam o ídolo e tinha, na época, o apelido de ‘Tremendão’.

No início dos anos 60, seus maiores hits foram ‘Gatinha Manhosa’ e ‘Festa de Arromba’. No final dos anos 60, ele se distancia da ‘Jovem Guarda’ por conta das fortes críticas de americanização do grupo, e passa a compor uma sonoridade samba-rock, orientado por Jorge Ben, com quem chegou a dividir um apartamento no Brooklin em São Paulo.

Para ouvir músicas do Erasmo Carlos no Spotify, clique aqui.

Wanderléa

Durante o programa da TV Record, Wanderléa ficou conhecida como ‘Ternurinha’.

Ela protagonizou filmes com Roberto Carlos, como ‘Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa’ de 1968.

No programa ‘Jovem Guarda’, Wanderléa fazia versões brasileiras de músicas dos anos 60 internacionais, como ‘Estou Com Raiva de Você’. Seus maiores sucessos são ‘Prova de Fogo’ e ‘Ternura’.

Para ouvir Wanderléa no Spotify, clique aqui.

Festivais de Músicas dos Anos 60

Se hoje existe uma tendência em festivais de música, esta começou durante os anos 60. Os formatos e as intenções eram extremamente diferentes das tidas hoje. Na década de 60, sequer o conceito de show business existia.

Woodstock Festival

festival

O mais importante festival da história aconteceu em New York quando quatro jovens investidores tiveram a ideia de reunir bandas para tocar ao ar livre.

Apesar de não haver apresentações das bandas mais icônicas dos anos 60, como The Beatles, The Doors ou Led Zeppelin, o festival de músicas dos anos 60 de Woodstock ficou conhecido por representar toda uma geração idealista contra a cultura do consumo capitalista.

woodstock

Sem preparação para receber a quantidade de pessoas que recebeu – ao todo foram mais de 400.000 – mais de trinta grupos musicais tocaram em uma área campestre de 129 km em New York, na região de Bethel, com o lema de ‘Três Dias de Paz, Amor e Rock’n’Roll’.

Com o final da década de 60, um dos períodos históricos mais conturbados em consequência das guerras mundiais, a população percebeu-se em paz, porém com forte sentimento de niilismo, regados a guitarras psicodélicas, ácido e heroína, assim era o movimento hippie.

O Woodstock foi gravado em vídeo e em 1970 foi lançado um documentário sobre ele. Várias tentativas de recriar o festival já aconteceram, mas nenhuma foi tão bem-sucedida quanto o original.

Festival de Música Popular Brasileira

Na década de 60 e 70, o Brasil vivia sob a Ditadura Militar. O autoritarismo era a lei, portanto, os artistas não podiam ter total domínio de suas criações.

Por conta da repressão, começaram a surgir grupos e artistas a fim de protestar contra o governo. As emissoras de TV realizavam festivais de música, que funcionavam muitas vezes como uma espécie de concurso musical.

Na primeira edição do Festival de Música Popular Brasileira foi cunhado o termo ‘Música Popular Brasileira’ através de uma icônica performance de ‘Arrastão’, composição de Vinicius de Moraes, e interpretada por Elis Regina.

Outras performances foram ‘A Banda’ por Nara Leão e Chico Buarque e ‘De Amor ou Paz’ de Adauto Santos e Luís Carlos Paraná, interpretada por Elza Soares. Lindas músicas dos anos 60 que ficaram marcadas no coração dessa geração.

Vídeo de Música do Chico Buarque – A Banda

Os festivais foram realizados em sua maioria no estado e cidade de São Paulo, lançando diversos talentosos vocalistas, compositores e musicistas da chamada Música Popular Brasileira.

Mais tarde, por conta de suas composições e tom subversivo, alguns desses artistas como Caetano Veloso e Gil foram exilados do país pelos militares.

As músicas dos anos 60 são pedidas em qualquer boa festa com espírito de Flash Back. Foi nos anos 60 que grandes mudanças no mundo começaram a ocorrer, os direitos para as mulheres e o feminismo, a visibilidade para os negros e o povo falando em alto e bom som sobre paz e amor.

10 Filmes dos Anos 60

  • 2001: Uma Odisseia no Espaço
  • Fantástico
  • Jivago
  • Três Homens em Conflito
  • Bonequinha de Luxo
  • Era uma vez no Oeste
  • O que terá acontecido a Baby Jane?
  • Butch Cassidy
  • Oito e Meio
  • O Anjo Exterminador

Melhores Músicas dos Anos 60

A UPPERMAG fez uma seleção de 10 das melhores músicas dos anos 60, confira e “play it loud”!

Lista de Músicas

Vídeo de Música do The Doors – Light My Fire

  • Folsom Prison Blues, de Johnny Cash;
  • I Wanna Be Your Dog, dos Stooges;
  • Light My Fire, do The Doors;
  • Like a Rolling Stone, de Bob Dylan;
  • Paint It Black, dos Rolling Stones;
  • Todo o Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band, dos The Beatles;
  • Strangers in the Night, do Frank Sinatra;
  • Wouldn’t it Be Nice, dos Beach Boys;
  • Arrastão, versão de Elis Regina;
  • A Banda, de Chico Buarque.

Se preferir, o site Pichfork tem uma lista com as 200 melhores músicas dos anos 60. A lista pode ser ouvida aqui.

E aqui tem uma lista do youtube com os melhores hits da década!

Por: Alisson Prando – Uppermen

 

GIF BAG

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta